Sem categoria

5 dicas de direção defensiva que você precisa conhecer agora

Todo motorista quer chegar com tranquilidade no seu destino. No entanto, quando se trata de evitar acidentes, poucos condutores se atentam à importância de adotar a direção defensiva no trânsito.

Apenas com uma mudança de postura já reduzimos significativamente as chances de acidentes. Quer saber como dirigir defensivamente? No texto de hoje você conhecerá 5 dicas indispensáveis para trafegar com segurança. Confira!

1. Adote a direção defensiva

Acidentes não acontecem por acaso ou falta de sorte. Na maioria das ocorrências de trânsito a falha é humana. Dessa forma, dirigir com responsabilidade pode ser o diferencial entre sofrer um acidente e finalizar sua viagem com segurança. Muitos desastres poderiam ser evitados com a adoção de boas práticas pelo condutor, principalmente nas estradas.

A direção defensiva é um conjunto de posturas no trânsito que permite ao condutor prever as possíveis situações de risco e perigo. É comum dividi-la em práticas preventivas e corretivas.

A primeira resume todos os procedimentos adotados pelo motorista para mitigar os riscos de acidentes, como, por exemplo, preservar uma distância segura do automóvel da frente, segurar sempre o volante com duas mãos, atenção redobrada ao trânsito etc.

Nesse contexto, para sua segurança, sempre que não se sentir em condições de dirigir procure se organizar para conseguir uma carona ou recorrer aos aplicativos de serviço de transporte.

A segunda já depende mais dos reflexos dos motoristas ao se depararem com situações de acidente iminente, como reduzir a velocidade e desviar o veículo para o acostamento ao ver uma ultrapassagem indevida, manter a direção sob controle em caso de aquaplanagem, entre outros casos.

2. Use o cinto de segurança

É comum ouvir de condutores e passageiros que se sentem incomodados ao colocar o cinto de segurança e alegam que por isso não usam o acessório. Ninguém quer precisar dele, porém, caso seja necessário é melhor estar com ele devidamente instalado.

Todos os passageiros, sem exceção, devem usar o cinto. Pois caso ocorra uma colisão, além de se machucarem, as pessoas do banco de trás, por exemplo, podem se transformar em projéteis e ferir gravemente os ocupantes da frente.

Além disso, poucos sabem que os airbags precisam do uso correto do cinto de segurança para funcionar. Caso os passageiros não estejam corretamente equipados com esse dispositivo no momento da colisão, a expansão da bolsa de ar, em vez de salvar vidas, pode se transformar em arma letal. Dessa forma, transforme em rotina o hábito de afivelar os cintos antes de sair com o carro.

Vale ressaltar que essa obrigação de uso se estende às crianças. É corriqueiro deixar os pequenos viajarem soltos no banco de trás, o que configura um risco para elas e para os demais ocupantes do veículo. Lembre-se de que crianças com menos de 10 anos tem que sentar no banco traseiro, acomodadas em cadeirinhas ou boosters, de acordo com peso e idade.

3. Mantenha o veículo engrenado

Alguns condutores, na ilusão de economizar combustível, deixam seus carros desengrenados — o famoso “ponto morto” — em alguns trechos das estradas, principalmente nas descidas. Apesar de a gasolina ser um dos principais gastos para sustentar um automóvel, essa não é uma forma inteligente de economizar, pois há muitos riscos envolvidos nessa conduta.

Caso você se depare com uma situação de perigo e o carro esteja sem tração, seu tempo de reação para manobras evasivas aumenta significativamente. Nessas condições você praticamente se torna passageiro do automóvel, e não o condutor.

Outro ponto normalmente ignorado é que com o veículo em ponto morto você não tem a assistência do freio motor, aumentando à distância de parada nas frenagens de pânico e, consequentemente, o risco de acidentes.

4. Fique de olho no trânsito

Os acidentes ocorrem em uma fração de segundos. Por isso, é fundamental ficar atento ao tráfego. Mantenha sempre suas mãos no volante, evite tirá-las por qualquer motivo que não seja troca de marchas. Quando estiver exposto a uma situação de risco iminente, ter a direção sob controle é essencial para manobrar o automóvel e evitar uma colisão.

Outra conduta com que devemos ter cautela é o uso de GPS, rádio e outros dispositivos tecnológicos. É muito comum perder segundos preciosos de atenção ao trânsito por tentar sincronizar o Bluetooth do seu celular ao rádio. Nesses momentos perdemos o foco no trânsito, o que representa um risco alto.

Falando ao celular, muitos motoristas dividem atenção entre dirigir e mandar mensagens, sendo essa a causa de muitas ocorrências. Caso você precise utilizar o telefone para responder alguém ou atender uma ligação, pare em local apropriado e somente depois use o dispositivo.

Também fique atento aos limites de velocidade. A 100 km/h, por exemplo, você percorre aproximadamente 30 metros em um segundo. Nessas condições você possui pouquíssimo tempo para perceber um problema, identificá-lo e reagir. Reduza sua velocidade e mantenha a maior distância possível dos outros automóveis e dos obstáculos. Para isso, utilize da regra dos 2 segundos.

Observe o carro da frente e o aguarde passar por um ponto fixo na rodovia. Marque o tempo entre a passagem dele e a sua pelo objeto. Caso a diferença ultrapasse os 2 segundos você está a uma distância segura. Lembre-se de que essa regra é válida para pista seca, em caso de intempéries aumente o intervalo de tempo.

5. Prepare-se para os imprevistos do clima

Quando estiver se preparando para viajar, verifique a previsão do tempo para não ser pego de surpresa. Estamos acostumados a dirigir em dias de tempo limpo e as chuvas e neblinas prejudicam muito a visão dos motoristas, podendo causar diversos acidentes.

Ao enfrentar alguma dessas adversidades, deve-se primeiramente acender as luzes de posição e o farol baixo, que serão fundamentais para a visualização do seu veículo por outros motoristas. Lembre-se também de diminuir a velocidade, para reduzir a probabilidade de aquaplanagem e aumentar sua distância em relação aos outros. Assim você evita acidentes.

Se dirigir sob neblina, não deixe tomar as mesmas precauções, pois a pista fica úmida e escorregadia. Nesse caso use sempre o farol baixo e fique de olho nas faixas de sinalização da pista. Evite ultrapassagens e sinalize qualquer manobra que pensar em realizar.

Outra dica importante é utilizar os faróis de neblina se o seu veículo os tiver instalados. Eles podem ser utilizados para garantir seu conforto e segurança em diversas intempéries. Ou seja, esse tipo de iluminação é fundamental não somente durante a neblina, mas também quando o motorista passar por tempestades, nevoeiro, poeira e cerração. Sua luz pode e deve ser usada para complementar o farol baixo.

Gostou do nosso post sobre dicas de direção defensiva? Então siga nossas páginas nas redes sociais para receber mais informações como estas. Estamos no Facebook, no Instagram, no Twitter e no LinkedIn!

Você pode gostar
Motor do carro de passeio: como escolher o ideal?
Conheça os carros para revenda mais valorizados do mercado

Deixe seu comentário

Seu Comentário*

Seu Nome*
Seu Site

Share This